11 semanas de gravidez: como está você e o seu bebê?

GravidezPrimeiro trimestre de gravidez

Escrito por:

As 11 semanas de gravidez correspondem ao final do primeiro trimestre. Você já deve ter notado alguma mudança no seu abdômen que, a partir de agora, começará a aumentar, junto com o crescimento da placenta e do bebê. Apesar desse aumento, o bebê ainda é muito pequeno, o que não possibilita senti-lo quando se mexe. Por outro lado, geralmente, os enjoos cessam por aqui, o que eleva a disposição da gestante.

Se antes, lá no começo, você ainda não se sentia grávida e só percebia os incômodos que, geralmente, uma gestação traz — como enjoos e azia —, agora as coisas começam a mudar. Sua gravidez não terá apenas as transformações internas do seu bebê e do seu organismo, mas as modificações externas vão começar a todo vapor.

Vamos acompanhar a leitura e saber das próximas novidades?

O desenvolvimento do bebê

Estima-se que ele esteja medindo por volta de 5 cm, o que pode ser mais ou menos do tamanho de um tomate-cereja. Sua cabeça, agora, apresenta um tamanho bem grande, ficando meio desproporcional ao restante do corpo.

Ainda que suas orelhas já possam ser vistas pela ultrassonografia, ele ainda não consegue ouvir quando você conversa, pois as ligações nervosas entre o ouvido e o cérebro não estão bem formadas. Os olhos dele também podem ser observados pelo exame, mas ainda estão se desenvolvendo: o cristalino existe, mas a retina é apenas um esboço. Assim, como a audição, a visão dele ainda não está desenvolvida.

Dica: Agenda da gestante: já fez a sua?

Na ultrassonografia é possível perceber que o bebê já se mexe bastante, dando saltos e experimentando todo o espaço que ele tem, mas por ser ainda muito pequeno, é difícil que a gestante o sinta.

A placenta e o cordão umbilical estão bem desenvolvidos, o que fornece mais proteção e mais nutrientes ao bebê. Com essa alteração, o sangue também começa a circular entre ele e o útero. O intestino, que antes ficava um pouco para fora, agora já se encontra dentro da cavidade abdominal.

Outros órgãos vitais já estão completamente prontos. O coração já é bastante audível e ainda continua batendo rápido, por volta de 120 e 160 batidas por minuto.

Falando ainda em órgãos, apesar de a parte sexual externa ainda não estar completamente diferenciada, por dentro já existe um desenvolvimento bem grande. Assim, se você estiver grávida de uma menina, os ovários dela estão se formando.

Outra novidade é que nessa semana já começa a formação de uma fina camada de pele e uma penugem sobre o corpinho dele. Isso o protegerá do líquido amniótico e outras substâncias.

Acompanhe o dia-a-dia de uma das fases mais importantes da sua vida! Confira no banner abaixo:

As mudanças na gestante após 11 semanas de gravidez

Como mencionado no começo, nessa fase você já deve notar uma barriguinha crescendo. As mamas podem estar mais inchadas, o que significa que o hormônio da produção do leite está agindo, para que você possa amamentar o bebê ao nascer.

Os enjoos tendem a diminuir de frequência cada vez mais, porém, é possível que você ainda sinta muito sono e frequente vontade de fazer xixi. Nessa época, algumas gestantes reclamam de prisão de ventre. O mais aconselhável, se for o seu caso, é não tomar medicação por conta própria e tentar resolver a situação com mudanças mais naturais, como na alimentação e nos exercícios físicos.

Com o bebê nesse desenvolvimento, é mais difícil que agora ele tenha alguma má-formação, mas isso pode ainda estar causando certa angústia, às vezes, fazendo você sentir um receio ou insegurança. Saiba que é um pensamento comum de toda mãe. Acredite no seu médico e faça o acompanhamento correto, a fim de que você possa proporcionar os maiores cuidados possíveis.

Nesse período você começa a se sentir mais disposta, com o cessamento dos enjoos. Uma euforia pode bater, por você estar se sentindo grávida de verdade, agora que os sinais externos começam a aparecer aos poucos. Essa mudança de sentimentos, de uma hora para outra, é normal: os hormônios são muitos, o que influencia toda essa questão.

Possivelmente, você deve começar a sentir mais calor, principalmente estiver no verão. Isso porque há aumento na circulação sanguínea, provocando essa sensação — por vezes desagradável. Outra consequência de um maior fluxo de sangue é o crescimento mais rápido das suas unhas e seus cabelos.

Dica: Tipos de partos: qual é o ideal para mim e meu bebê?

Os cuidados com a alimentação

Durante toda a gestação é fundamental que você tenha uma alimentação saudável, para proporcionar todos os nutrientes essenciais a você e seu bebê. Ambos precisam de muitas vitaminas para que a gestação seja sadia até o fim dos 9 meses. Preocupar-se com os alimentos certos também previne a gestante de alguns sintomas um pouco chatos, como a prisão de ventre.

A ingestão de água deve ser constante. Ela é importante para manter o equilíbrio dos hormônios e o bom funcionamento dos órgãos, como o intestino. Ela ajuda a amolecer as fezes para que sejam empurradas, pelas contrações dos músculos intestinais, até o reto. A quantidade aconselhada pelos médicos, para um adulto, é de 2 a 3 litros por dia.

As fibras também são necessárias, por ajudarem na movimentação dos dejetos. Com a boa hidratação, elas ajudam na formação e aceleram a eliminação das fezes. A quantidade diária pode variar em cada caso e, por isso, se o seu problema for mais sério, talvez seja legal pedir orientação a um nutricionista. Só não se esqueça de avisar da sua gravidez!

Os alimentos que contam com bastante fibra e podem ser consumidos por você são:

  • aveia — você pode misturar em alguma vitamina ou, ainda, fazer um mingau;
  • mamão — uma dica refrescante é cortá-lo em cubos, levá-los ao freezer e comê-los congelados;
  • ameixa — dá para comer tanto a seca, comprada em lojas de produtos naturais, quanto a natural.

Tenha uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Confira no banner abaixo:

Continue se cuidando após as 11 semanas de gravidez. Em poucos dias você entra no segundo trimestre e seu organismo precisa estar forte para lidar com as próximas transformações. Faça o acompanhamento, de acordo com a orientação do seu ginecologista e não tome medicamentos sem o aval dele.

Que tal você ficar por dentro de informações relevantes para sua gestação? Assine nossa newsletter e receba tudo no seu e-mail.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone
  • Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
  • Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
  • Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
  • Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.