Como funciona a coleta de células-tronco para cada tipo de parto

Células-TroncoTipos de parto / Pós parto

Escrito por:

Parto normal ou cesárea? Essa é uma das maiores dúvidas das gestantes e desde a escolha do nome ao modelo do carrinho de bebê, todas as decisões são tomadas com muito cuidado. O tipo de parto, sem dúvidas, é uma das mais importantes e difíceis escolhas e pode se tornar ainda mais confusa para os pais que decidiram realizar a coleta de células-tronco do cordão umbilical para serem armazenadas em um banco.

Os dois tipos de parto mais comuns têm seus prós e contras, mas, independente de qual for o escolhido, o processo de coleta de sangue e do tecido do cordão umbilical se mantém viável. Saiba mais sobre o assunto e veja o que fazer para que o processo seja tranquilo:

Como é realizada a coleta de células-tronco?

O cordão umbilical é muito rico em células-tronco em sua fase mais primitiva, quando há maior potencial de formação de outros tipos celulares e, consequentemente, um amplo leque de aplicações terapêuticas.

As células-tronco encontradas no cordão umbilical podem ser extraídas do sangue e do tecido do cordão umbilical. Apesar de serem utilizadas em diferentes terapias, ambas apresentam menos chances de terem sofrido qualquer exposição a vírus, bactérias e ao meio ambiente quando comparadas às células-tronco coletadas da medula óssea. Isso favorece maior eficiência terapêutica e um menor risco de complicações, no caso de uso.

Dica: O que fazer na gravidez para contribuir com a saúde do seu bebê no futuro?

As células-tronco do sangue de cordão já são usadas há mais de 20 anos no transplante de medula óssea em pacientes com doenças sanguíneas graves, como: leucemias, anemias e imunodeficiências. Estudos também consideram essas células para tratamento, por exemplo, de lesões da medula espinhal, paralisia cerebral, doença vascular periférica e perda adquirida de audição.

Já as células-tronco do tecido do cordão são investigadas para uso terapêutico no tratamento de doenças como diabetes (tipo I e II), cirrose hepática, doenças cardíacas, Alzheimer e lesões esportivas.

E se o parto for de emergência?

Não tem problema. Caso o parto ocorra de maneira inesperada, a coleta ainda será possível da mesma maneira explicada acima. O importante é que a empresa contratada seja informada imediatamente e que o médico que está realizando o parto tenha conhecimento da escolha que os futuros papais fizeram.

Uma equipe treinada fará a coleta do materialque só ocorre após o nascimento do bebê e o corte do cordão umbilical. O tempo máximo que a punção do sangue do cordão umbilical leva é inferior a 10 minutos e o procedimento de coleta não interfere nos procedimentos médicos do parto, seja normal ou cesárea.

Logo, a decisão de realizar o armazenamento das células-tronco do sangue do cordão umbilical não pode ser tomada de última hora. Planeje-se e contrate o serviço com antecedência para que esteja tudo preparado no dia do parto.

Tire todas suas dúvidas sobre o armazenamento de células-tronco do cordão umbilical no banner abaixo:

O que acontece após a coleta?

Depois que o sangue está dentro da bolsa, ele é transportado para o banco que irá armazená-lo e recebe um tratamento adequado para manter sua viabilidade durante vários anos. Por esse motivo, é essencial saber os critérios importantes na escolha da empresa contratada, uma vez que o material deve ser manuseado com muito cuidado e respeitando vários padrões de qualidade.

A preservação é realizada através de uma técnica chamada criogenia, muito segura e eficiente. É importante pesquisar bem sobre as empresas que realizam esse tipo de serviço antes de fechar o contrato. Busque sempre por organizações de renome, estáveis, atualizadas e com boa experiência de mercado.

Quer saber mais sobre a coleta de células-tronco? Já tomou essa importante decisão para o seu bebê? Assine nossa newsletter!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone
  • Dra. Aline Miranda de Souza

    (CRM 129951/SP)
  • Graduação em Medicina – Universidade São Francisco, 2007;
  • Residência em Hematologia e Hemoterapia na FMUSP com aprimoramento em transplante de medula óssea;
  • Residência em Clínica Médica no Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo;
  • MBA Adm. Hospitalar – Centro Univ. S. Camilo.

2 Replies to “Como funciona a coleta de células-tronco para cada tipo de parto”

  1. […] células-tronco do cordão umbilical são coletadas logo após o nascimento do bebê e encaminhadas para bancos públicos ou privados de armazenamento […]

  2. […] a assistência médica e a promoção da saúde da gestante e do bebê durante o pré-natal, o parto e […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.