Conheça as tecnologias Alta Eficiência e BioArchive utilizadas no armazenamento de células-tronco do cordão umbilical

Células-Tronco

Escrito por:

A qualidade das técnicas de coleta e armazenamento das células-tronco do cordão umbilical é fundamental para garantir a segurança e a boa utilização dessas unidades biológicas quando necessárias. Por isso, quando procuramos um banco de armazenamento dessas células, é preciso conhecer um pouco das técnicas praticadas naquele local para se assegurar de que você está contratando um serviço seguro e que conta com tecnologias modernas.

Veja neste texto como a coleta e armazenamento das células-tronco são feitas e como funcionam as tecnologias de Alta Eficiência e BioArchive utilizadas para esse fim.

Coleta das células-tronco do cordão umbilical

As células-tronco são células especiais, pois dão origem às células adultas que constituem os tecidos e órgão no nosso corpo. Por terem essa capacidade de autorrenovação, elas contribuem para a reparação de tecidos danificados ou para a substituição de células que vão morrendo. É essa capacidade de regeneração e reparação que faz com que as células-tronco sejam utilizadas no tratamento de diversas doenças e estejam em estudo para o tratamento de várias outras.

O sangue do cordão umbilical é rico em células-tronco que formam nosso sangue e sistema imune. A coleta do sangue do cordão ocorre depois do nascimento do bebê, após o cordão ter sido clampeado e cortado, podendo ser realizada em partos normais ou cesarianas, de forma indolor e segura tanto para a mãe quanto para o bebê.

O sangue coletado é, então, colocado em uma bolsa própria, refrigerado e encaminhado para o laboratório. Lá ele é submetido a múltiplas etapas de processamento para a obtenção do maior número possível de células-tronco. Em seguida, as amostras com as células-tronco do sangue são armazenadas.

No caso do tecido do cordão, o maior segmento do cordão umbilical é coletado, acondicionado em um frasco estéril e encaminhado ao laboratório. Lá chegando, o material pode ter as células isoladas e congeladas, deixando-as prontas para o uso futuro. Alternativamente, o material pode ser congelado como um todo, sem nenhum tipo de manipulação para separar as células-tronco. Vai depender do procedimento de cada laboratório.

A criopreservação

Criopreservação é o nome dado à técnica de armazenamento por congelamento das células células-tronco. Essa técnica permite a conservação da integridade dessas unidades biológicas por longos períodos em temperaturas extremamente baixas (cerca de -196ºC). A literatura científica relata que a criopreservação já foi capaz de armazenar essas células em perfeitas condições por mais de 25 anos.

Tecnologias de criopreservação

As duas tecnologias de criopreservação que vamos descrever abaixo são utilizadas pelas melhores empresas de armazenamento de células-tronco em todo o mundo. Conheça suas principais características:

BioArchive

A tecnologia da BioArchive permite que as células-tronco sejam armazenadas em um sistema totalmente fechado e inviolável, com controle realizado através de computadores. Após a amostra ter sido armazenada nesses tanques, ela não sofre nenhum tipo de movimentação, eliminando o risco de qualquer variação de temperatura. Um sistema totalmente robotizado é responsável por armazenar ou liberar as amostras desses tanques, sem a necessidade da abertura dos mesmos.

Alta Eficiência

A tecnologia de Alta Eficiência é considerada um sistema semiautomático, que armazena as amostras de forma compartilhada em um mesmo rack (gaveteiro) dentro do tanque, aumentando o aproveitamento de espaço. Essa é a tecnologia mais comumente utilizada em bancos de células-tronco do cordão umbilical. Bancos de armazenamento que optam por posicionar um número menor de amostras por rack, permitem que a exposição das células às variações de temperatura, durante o armazenamento, seja também menor, já que a possibilidade de movimentar e remover o rack para armazenar ou liberar amostras é também reduzida.

Além da escolha da tecnologia, é importante também que os pais verifiquem os sistemas de segurança, controle e monitoramento do laboratório onde serão armazenadas as células-tronco de seu filho. Verificar se o laboratório possui acreditações internacionais de órgãos auditores especializados e independentes pode ser um bom começo.

Quer saber mais sobre como são realizados os processos de coleta e criopreservação? Visite o nosso site e tire suas dúvidas!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Comments are closed.

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.