Descubra a diferença entre bancos privados e públicos de armazenamento de células-tronco

Células-Tronco

Escrito por:

Atualmente, as células-tronco podem ser utilizadas para o tratamento de várias doenças. Você sabia que o sangue e o tecido do cordão umbilical são fontes valiosas dessas células, que podem ser coletadas logo após o nascimento do bebê e armazenadas em um banco de células-tronco? Conheça a seguir a diferença entre bancos públicos e privados de armazenamento de células-tronco:

O que são células-tronco e qual sua importância?

O corpo humano é formado por mais de 200 tipos de células e suas características dependem da estrutura onde se encontram e da função que desempenham no organismo. As células-tronco são células especiais, pois dão origem às células adultas que constituem os tecidos e órgão no nosso corpo. Por terem essa capacidade de autorrenovação, elas contribuem para a reparação de tecidos danificados ou para a substituição de células que vão morrendo. É essa capacidade de regeneração e reparação que faz com que as células-tronco sejam utilizadas no tratamento de diversas doenças, e estejam em estudo para o tratamento de várias outras.

O sangue do cordão umbilical contém células-tronco valiosas que são utilizadas há mais de 25 anos para tratar diversas doenças de origem sanguínea e relacionadas ao sistema imunológico como linfomas, leucemias, doenças de falência medular, metabólicas e imunológicas.

Já o tecido do cordão umbilical, é uma importante fonte de células-tronco que vem sendo pesquisada para o tratamento de diversas doenças, como diabetes, doenças cardíacas, cirrose hepática, Alzheimer, entre outras.

Como é feita a coleta e o armazenamento das células-tronco do sangue de cordão umbilical?

A coleta é indolor e segura tanto para a mãe quanto para o bebê. Ela ocorre depois do nascimento do bebê, após o cordão ter sido clampeado e cortado. Isso significa que, independentemente de ser um parto normal ou uma cesariana, a coleta é possível e leva menos de cinco minutos para ser realizada.

O sangue coletado é colocado em uma bolsa própria, refrigerado e encaminhado para o laboratório. Lá ele é submetido a múltiplas etapas de processamento para a obtenção do maior número possível de células-tronco. Em seguida, as amostras com as células-tronco do sangue são armazenadas.

No caso do tecido do cordão, o maior segmento do cordão umbilical é coletado, acondicionado em um frasco estéril e encaminhado ao laboratório. Lá chegando, o material pode ter as células isoladas e, então, congeladas, deixando-as prontas para o uso futuro. Alternativamente, o material pode ser congelado como um todo, sem nenhum tipo de manipulação para separar as células-tronco. Vai depender do procedimento de cada laboratório.

Ambos os tipos de células-tronco do cordão são armazenados pela técnica de criopreservação, que consiste em resfriar gradativamente essas células com nitrogênio líquido até que atinjam temperaturas muito baixas (-196ºC). Isso permite conservar a integridade das células por longos períodos de tempo.

Como funciona o banco público de armazenamento de células-tronco?

No Brasil, a rede BrasilCord reúne todos os bancos públicos de armazenamento de células-tronco. Os bancos públicos recebem sangue de cordão umbilical através de doações voluntárias realizadas em maternidades credenciadas a essa rede. Para fazer uma doação, a gestante deve preencher alguns requisitos, como gestação superior a 35 semanas e não possuir histórico médico de algum tipo de câncer.

As células-tronco desses bancos são utilizadas por quaisquer pacientes, de todo o país, que necessitem de um transplante de medula óssea, desde que haja compatibilidade com o material armazenado no banco. As doações realizadas a partir dos bancos públicos são confidenciais, ou seja, não há troca de informações entre o doador e o paciente receptor.

Vantagens e desvantagens do banco público de células-tronco

  • É um material rico em células-tronco que seriam descartadas e que podem vir a salvar vidas;
  • Cada região do país possui um banco de armazenamento de células-tronco, o que é essencial para representar a diversidade genética brasileira e facilitar a busca por um doador compatível;
  • Não há armazenamento do tecido do cordão umbilical, apenas do sangue;
  • O sangue do cordão umbilical doado é disponibilizado a qualquer paciente que necessite. Dessa forma, caso o filho da gestante ou algum membro de sua família futuramente precise de um transplante, não há qualquer garantia de que a amostra possa um dia ser recuperada para uso.

Como funciona o banco privado de armazenamento de células-tronco?

Nos bancos privados, os pais contratam e pagam pelo armazenamento das células-tronco do cordão umbilical, e permanecem sendo os responsáveis legais até a maioridade do seu filho. Após esse período, ele assume a responsabilidade por qualquer decisão de uso das células. As células-tronco são armazenadas para utilização pelo seu próprio filho ou até mesmo por parentes diretos, caso eles necessitem de um transplante futuramente.

O sangue e o tecido do cordão umbilical permanecem congelados por tempo indeterminado até que haja necessidade de utilização. Dessa forma, é possível garantir que as células-tronco estejam disponíveis imediatamente, caso isso seja necessário.

Vantagens e desvantagens do banco privado de células-tronco

  • As células-tronco são 100% compatíveis com a própria pessoa e têm 25% de chance de serem 100% compatíveis entre irmãos do mesmo pai e da mesma mãe;
  • As células-tronco armazenadas no banco privado estarão imediatamente disponíveis para uso, assim que houver a necessidade de transplante;
  • As células-tronco podem ser usadas pela própria pessoa ou por um familiar direto que seja compatível;
  • Nos bancos privados também é possível realizar o armazenamento das células-tronco do tecido do cordão umbilical;
  • Como é um serviço pago, podem ter famílias sem condições financeiras para a sua contratação.

É muito importante que os pais possam tomar uma decisão livre e esclarecida em relação ao valor das células-tronco do cordão umbilical, um material rico que é diariamente descartado nas maternidades do país. Atualmente, mais de 99% dos cordões umbilicais são, infelizmente, descartados como lixo hospitalar no Brasil, um material valioso que, se armazenado em bancos públicos ou privados, pode contribuir para a saúde de tantas famílias que precisam.

Ainda tem dúvidas sobre como funciona o armazenamento das células-tronco? Está considerando armazenar as células-tronco do cordão umbilical do seu bebê? Entre em contato conosco!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

One Reply to “Descubra a diferença entre bancos privados e públicos de armazenamento de células-tronco”

  1. […] É possível armazenar as células-tronco em bancos públicos ou em bancos privados. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.