Doenças em estudo com as Células-tronco do Cordão Umbilical

Células-TroncoNotícias

Escrito por:

O sangue do cordão umbilical é uma fonte consagrada há quase 30 anos para o tratamento de mais de 80 doenças. Milhares de pessoas com leucemias e outras doenças da medula óssea já foram tratadas.

As células-tronco do sangue do cordão umbilical são uma fonte consagrada pela medicina para tratar doenças hematológicas e imunológicas através de transplantes de medula óssea. Só nos EUA, mais de 35.000 transplantes com sangue de cordão foram feitos, sendo aproximadamente 3.000 deles em pacientes pediátricos.

A comunidade científica mundial tem demonstrado grande interesse no potencial de células-tronco extraídas tanto do sangue como do tecido do cordão umbilical para novos tratamentos de doenças, muitas delas ainda sem cura. Destacamos abaixo os tipos de doenças estudadas em mais de 230 ensaios clínicos

O que é um ensaio clínico?

Um “ensaio clínico” é um estudo em pacientes humanos de uma terapia emergente que não foi ainda aprovada como terapia-padrão. O site clinicaltrials.gov fornece um banco de dados pesquisável de todos os ensaios clínicos nos Estados Unidos e de outros países também.

Pesquisas com as células-tronco do sangue do cordão: 96 estudos

As pesquisas são animadoras, com novos tratamentos utilizando células-tronco do sangue do cordão sendo testados diariamente em laboratórios de todo o mundo. Atualmente existem 96 pesquisas em curso nos principais centros do mundo para investigar o uso dessas células em doenças extremamente comuns na nossa população e várias ainda sem cura.

Pesquisas com as células-tronco do tecido do cordão: 141 estudos

Importantes centros de pesquisa de vários países estudam o uso terapêutico das células-tronco extraídas do tecido do cordão umbilical para o tratamento de um grande número de doenças. Podemos citar algumas doenças mais conhecidas desta lista: diabetes, artrite reumatóide, cirrose hepática, infarto agudo do miocárdio, Alzheimer, entre outras.

Novos estudos abrem a perspectiva para o aumento da eficiência dos transplantes e, potencialmente a possibilidade de que pacientes que antes não conseguiam fazer transplante devido ao número insuficiente de células por parte do doador, possam vir a passar a realizá-los.

Outros estudos comprovam que as células-tronco de tecido do cordão, quando usadas em transplantes de medula óssea possibilitam uma melhora de até 6 vezes na velocidade de recuperação da medula.

Tratamentos com células-tronco

Tratamento com as células-tronco do cordão umbilical já é uma realidade. Está demonstrado que a probabilidade de uma pessoa de 0 a 70 anos precisar de um transplante de células-tronco do sangue do cordão umbilical é de 1 para 217. Uma chance muito maior do que a maioria das pessoas imagina. As pesquisas são animadoras, uma grande esperança da medicina regenerativa.

Se você tiver interesse em saber mais sobre esse assunto, confira a lista de doenças em tratamento em nosso site ou Fale com um Consultor sobre o assunto. Não esqueça de acompanhar nosso Blog para mais novidades!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.