Por que a CordVida é referência em armazenamento de células-tronco?

Células-TroncoCordVida

Escrito por:

Guardar as células-tronco do cordão umbilical do seu bebê é poder oferecer mais possibilidades de tratamentos futuros para ele e, em alguns casos, para outros membros da família. É um projeto de longo prazo, pois, graças ao investimento em tecnologias de ponta, as células-tronco retiradas do cordão umbilical podem ser usadas muitos anos após a coleta.

Armazenar as células-tronco é uma decisão séria e que precisa ser considerada ainda durante a gestação, já que a retirada do material é feita logo após o parto, sem dor, incômodo ou riscos para a saúde da mamãe e do bebê.

Neste post nos dedicamos a lhe informar sobre o que são as células-tronco, como elas são usadas e, especialmente, por que a CordVida se tornou referência em armazenamento de células-tronco.

Acompanhe!

Entenda o que são células-tronco

As células-tronco são células primárias que carregam a capacidade de se replicarem e formar novas células ou se diferenciarem e formar tipos distintos de células, como as cardíacas, sanguíneas, da pele etc. Há dois tipos de células-tronco obtidas de forma natural: as embrionárias e as adultas.

Células-tronco embrionárias

São encontradas no embrião no estágio de desenvolvimento conhecido como blastocisto (3 a 5 dias após a fecundação). Por serem muito jovens, essas células podem se transformar em qualquer célula do corpo humano, pois, ainda não desenvolveram nenhuma especificidade.

Dica: Células-tronco: como elas atuam no tratamento de doenças

Células-tronco adultas

São encontradas na medula óssea, nos tecidos do coração, cérebro e outras partes do organismo — e são abundantes no cordão umbilical e na placenta.

Um terceiro tipo de células-tronco são as produzidas em laboratório, chamadas de Pluripotentes induzidas ou iPS, obtidas a partir de uma técnica específica que devolve à célula madura a capacidade de se transformar em células de outros tecidos.

Saiba como funciona o armazenamento das células-tronco do cordão umbilical

O armazenamento de células-tronco é feito em três etapas: coleta, separação e conservação. Veja!

Coleta

A coleta das células-tronco do cordão umbilical é feita logo após o parto. Assim que o obstetra corta o cordão, uma equipe especializada colhe o material e coloca em uma bolsa de coleta, semelhante às utilizadas nos bancos de sangue. Esse procedimento não interfere em nada no parto, é indolor e seguro tanto para o bebê quanto para a mamãe.

Separação

A bolsa de sangue é encaminhada para o laboratório onde será feita a separação das células-tronco. Esse processo é feito com equipamentos especiais, para garantir a viabilidade do maior número possível de células-tronco. Geralmente, após o término da separação, as células-tronco concentradas são transferidas para uma bolsa de 25 ml.

Conservação

Nessa última etapa, a bolsa com as células-tronco é armazenada em um tanque de nitrogênio líquido em uma temperatura de -196 °C, uma técnica chamada criopreservação. A literatura científica atual relata a viabilidade de células-tronco do sangue do cordão umbilical criopreservadas há mais de 25 anos, o que sugere que, uma vez armazenadas nas condições corretas, as células-tronco do sangue e do tecido do cordão umbilical podem permanecer viáveis por tempo indefinido. Ou seja, as células poderão ser usadas pela criança ou seus familiares muitos anos após o armazenamento.

Encontre de forma clara, ética e transparente as respostas para o dilema de armazenar ou não as células. Veja no banner abaixo:

Conheça as vantagens desse procedimento

As células-tronco hoje já são usadas como terapia para muitas doenças hematológicas. Há ainda muitas pesquisas sendo desenvolvidas para ampliar seu uso no tratamento de diversas outras doenças, muitas sem cura — como lúpus, diabetes tipo 1, doença de Crohn, esclerose múltipla, entre outras.

Veja outras vantagens:

  • as células-tronco retiradas do cordão umbilical do seu bebê são 100% compatíveis com ele;
  • têm 25% de chance de ser compatíveis com um irmão;
  • são células mais imaturas e imunologicamente mais toleradas, o que reduz os riscos de rejeição após o transplante;
  • ficam disponíveis para uso imediato, o que significa menos tempo em busca de doador compatível e melhor prognóstico do tratamento.

Por que usar células-tronco do cordão umbilical?

Apesar de serem células adultas, as células-tronco retiradas do cordão umbilical são mais imaturas, mantendo a capacidade de multivariação, ou seja, podem ser estimuladas a se diferenciarem em variados tipos de célula.

Com o avanço da tecnologia e da medicina, a potencialidade de transformação dessas células se tornaram importantes para a pesquisa de novos tratamentos para muitas doenças, como autismo, Alzheimer, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e outras doenças neurodegenerativas.

Atualmente, uma pesquisa clínica está sendo desenvolvida no Centro para Autismo e Desenvolvimento Cerebral da Duke University, com um grupo de 25 crianças autistas de 2 a 7 anos de idade, diagnosticadas com autismo grave ou moderadamente grave. Elas receberam infusões com células-tronco de cordão umbilical e os resultados da fase I do estudo foram animadores, com melhora clínica em boa parte dos pacientes nos primeiros seis meses após a transfusão e estabilidade nos seis meses seguintes.

A pesquisa está em fase II de desenvolvimento e a expectativa é que os resultados finais sejam divulgados nos próximos meses.

Dica: Tratamento com células-tronco — O depoimento de uma mãe

Veja por que escolher a Cordvida como banco para armazenamento

Sabemos que a decisão de armazenar as células-tronco do cordão umbilical do seu filho é séria e precisa ser feita com confiança e segurança. Na CordVida você vai encontrar a tranquilidade que procura, pois, nosso objetivo final não é ser apenas uma referência no armazenamento de células-tronco, mas efetivamente tratar pessoas. Levamos esse compromisso tão a sério que o reconhecimento por nosso trabalho é consequência desse caminho. Somos o laboratório privado que mais tratou famílias no Brasil e 100% das amostras liberadas estavam totalmente viáveis para uso. Essa é a razão principal de excelência de um laboratório de células-tronco.

Certificações internacionais

A CordVida se preocupou em obter certificação internacional para atestar seu compromisso e seriedade. Acreditamos que esse é o primeiro passo para nos nivelarmos aos melhores padrões mundiais do setor e oferecer o que há de melhor no mundo para nossos clientes. Para obter essas certificações, é feita uma verificação rigorosa dos insumos usados nos procedimentos, dos processos de identificação de amostras, do treinamento da equipe de coleta, processamento e armazenamento.

Essas certificações são concedidas através de auditorias de organizações independentes. A principal delas é a Associação Americana de Bancos de Sangue (AABB), que audita as principais empresas do setor no mundo e a única que audita especificamente os laboratórios de armazenamento. Há a total busca de qualidade, transparência e biossegurança.

Transparência com as famílias

Toda família que nos procura encontra um contato com a CordVida que vai além do atendimento. Oferecemos uma comunicação integrada, primeiro para compreender a demanda dos pais, o que eles esperam do futuro do filho, suas preocupações com sua saúde. Nosso interesse por essas questões é genuíno e é a partir dessa comunicação que expomos aos pais a oportunidade que eles têm em mãos ao optar pelo armazenamento das células-tronco do cordão umbilical do bebê.

Nossa preocupação é construir com essas famílias uma relação de confiança em que transpareça, antes de tudo, nosso interesse em cuidar das pessoas que elas amam. Todas as informações que transmitimos são baseadas em dados científicos e resultados obtidos, com total clareza e transparência.

Encontre de forma clara, ética e transparente as respostas para o dilema de armazenar ou não as células. Veja no banner abaixo:

Pioneirismo

Desde que iniciamos nossas atividades, focamos em um tripé de atuação: qualidade, excelência e pioneirismo. Os dois primeiros pés dessa tríade passam por todas as etapas, do primeiro contato com as famílias até a disponibilização das células-tronco para o uso em um tratamento, passando pelo indispensável profissionalismo e alta capacidade técnica para coletar, processar, separar e armazenar as células-tronco.

Com relação ao pioneirismo, o trazemos no DNA da nossa empresa, mas não paramos na ideia de inovação do nosso serviço. Estamos sempre atentos e em busca de novas pesquisas e estudos que melhorem ainda mais nossos processos, garantindo uma excelência além das expectativas de nossos clientes.

Para isso, buscamos sempre novas tecnologias do exterior para trazer ao Brasil. E isso se mostrou um movimento mais do que acertado. Há 6 anos lançamos o serviço de armazenamento das células-tronco mesenquimais coletadas do tecido do cordão umbilical. Essas células têm uma capacidade ainda maior de diferenciação do que as encontradas no sangue do cordão umbilical, representando possibilidades diferentes de tratamento para doenças que hoje ainda são um desafio para a medicina.

O uso dessas células está sendo estudado em cento de pesquisa todo o mundo e elas ainda não têm uso terapêutico fora dessas pesquisas, mas podem ser o próximo passo de avanço na descoberta de novas possibilidades de tratamento para doenças graves, como a paralisia cerebral.

Tenha certeza que a CordVida compartilha da sua preocupação em cuidar do futuro da saúde do seu bebê. Nossa escolha e compromisso em cuidar das pessoas é o que nos torna referência em armazenamento de células-tronco.

Entre em contato conosco e esclareça suas dúvidas sobre o procedimento. Nossa equipe está preparada para lhe ajudar a tomar a melhor decisão.

  • Dra. Aline Miranda de Souza

    (CRM 129951/SP)
  • Diretora Médica da CordVida;
  • Graduação em Medicina – Universidade São Francisco, 2007;
  • Residência em Hematologia e Hemoterapia na FMUSP com aprimoramento em transplante de medula óssea;
  • Residência em Clínica Médica no Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo;
  • MBA Adm. Hospitalar – Centro Univ. S. Camilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.