Entenda o motivo das mulheres ficarem mais sensíveis no período da gravidez

GravidezSaúde na gravidez

Escrito por:

A gestação é um dos momentos mais especiais na vida de uma mulher. Além de ser cercada de alegrias, essa fase também traz muitos desafios para as gestantes. Não é apenas o corpo que muda, mas o seu estado emocional também sofre grandes alterações.

Nesse cenário, as oscilações de humor são bastante frequentes, desde a descoberta da gravidez até o momento do parto. Entretanto, as 12 primeiras semanas são críticas no quesito emoção. Nesse período da gravidez, a sensibilidade se torna ainda maior, fazendo com que as futuras mamães chorem ou se irritem por motivos banais.

Quer entender por que as grávidas ficam com as emoções tão à flor da pele? Então veja o vídeo abaixo e continue lendo o nosso artigo!

Por que as mulheres ficam mais sensíveis no período da gravidez? Diferentes fatores levam as mulheres a se tornarem mais sensíveis durante o período da gravidez. A seguir, reunimos as principais explicações para as variações emocionais típicas dessa fase da vida. Entenda:

Há uma explosão de hormônios na gravidez

Ao longo da gestação, os níveis hormonais da mulher podem se alterar significativamente, causando grandes impactos emocionais no seu dia a dia. Esse é o principal motivo pelo qual elas se tornam mais suscetíveis à instabilidade de humor, à irritabilidade e à sensibilidade.

Dica: 10 dúvidas que as futuras mamães têm sobre a coleta de células-tronco!

Durante a gravidez, a secreção de hormônios aumenta drasticamente. Só para se ter uma ideia, a produção de estrogênio chega e se elevar até cerca de 30 vezes em relação ao nível normal. Já o nível de progesterona pode aumentar 10 vezes, enquanto o de estradiol se eleva até 138 vezes e o de prolactina 20 vezes em relação à secreção normal.

Essa elevação assustadora de produção se deve, principalmente, ao fato de a placenta funcionar como um órgão endócrino de alta atividade, ou seja, uma estrutura secretora de substâncias hormonais em larga escala.

Logo nas primeiras semanas da gestação, a placenta já inicia a sua produção de hormônios. A secreção vai aumentando gradativamente, especialmente após a 16ª semana, atingindo o seu pico máximo alguns dias antes do nascimento do bebê.

Além disso, o corpo lúteo — estrutura derivada do folículo ovariano — também aumenta a sua produção de hormônios durante o primeiro trimestre da gravidez, até que a placenta assuma o seu papel.

Importância dos hormônios para o período da gravidez

As variações hormonais da gestação acontecem porque essas substâncias são de extrema importância tanto para a promoção do desenvolvimento fetal quanto para a manutenção da gravidez. Confira algumas especificidades dos principais hormônios da gravidez:

Gonadotropina e somatotropina coriônica

A gonadotropina coriônica humana (beta-HCG) e a somatotropina coriônica humana (lactogênio placentário) são hormônios também secretados pela placenta. Entre as suas funções se encontra a regulação do desenvolvimento sexual do bebê e auxílio no controle das alterações mamárias e uterinas, essenciais para a vida do feto e estimular futuramente a produção de leite.

Dica: Amamentação prolongada: até quando uma criança pode ser amamentada?

Estrógeno

O estrógeno é responsável pela proliferação da musculatura e dos vasos sanguíneos do útero, pela dilatação do orifício vaginal e do canal pélvico, pelo desenvolvimento dos ductos e das células glandulares das mamas. Transformações necessárias ao preparo do útero para o crescimento do feto e para a amamentação.

Progesterona

Por outro lado, a progesterona é fundamental para tornar mais disponíveis ao feto os nutrientes armazenados no endométrio, como glicose, aminoácidos e ácidos graxos. Ela também é importante para o relaxamento da musculatura ou inibição das contrações uterinas durante a gestação.

Além disso, esse hormônio é o grande causador dos enjoos, do sono excessivo e das oscilações de humor características desse período.

O sistema nervoso central também sofre mudanças

Controlar os nervos e emoções de uma grávida é missão quase impossível! Afinal, o sistema nervoso das gestantes também sofre mudanças e a tendência é que elas desenvolvam manias, aversões a comidas, desejos curiosos, amnésia e se tornem mais vulneráveis em relação as suas emoções. Com isso, as grávidas choram e sorriem com mais facilidade do que o habitual.

A novidade de ser mãe desestabiliza

Mesmo nas gestações planejadas, a novidade de ser mãe é desestabilizadora e acaba interferindo diretamente nas emoções da gestante. Uma gravidez dura três trimestres, isso significa quase um ano com o corpo mudando e um pequeno ser, totalmente dependente e frágil, crescendo dentro dela.

Dica: Os bebês sonham na barriga da mãe?

É uma realidade nova e esse período envolve a aceitação da ideia de ter um filho, a adaptação quanto à condição de gestante, os questionamentos sobre o futuro, a reflexão sobre a relação com a própria mãe e com o cônjuge, as dúvidas acerca da capacidade de educar e sustentar o seu filho, os planos para os próximos meses e por aí vai.

Para ganhar mais tranquilidade quanto ao futuro, teste seu conhecimento e descubra se está preparada para ser mãe!

Quizz- Preparada para ser mamãe?

As alterações físicas dificultam o equilíbrio emocional

Já no primeiro trimestre da gravidez, a mulher começa a passar por fortes mudanças no seu corpo, que vem acompanhadas por sensações desagradáveis, como as tonturas, o enjoo, as cólicas, os seios inchados e a sonolência. É quase impossível manter o equilíbrio emocional diante dessa condição.

Justamente por isso, o início da gravidez é o mais crítico em relação à sensibilidade. No segundo semestre, há uma certa estabilidade emocional e a grávida se preocupa mais com as questões práticas da gestação. Mas, a hipersensibilidade retorna com força total no terceiro trimestre.

A proximidade do parto aumenta a sensibilidade

No terceiro trimestre, com a proximidade do parto, as grávidas tendem a ficar ainda mais ansiosas e sensíveis. Nesse final de gravidez, a carga hormonal está nas alturas e o resultado disso é mais fragilidade, irritabilidade e chances ainda maiores da gestante derramar muitas lágrimas.

Dica: [Guia gratuito] A chegada do bebê: depois do nascimento

Sem falar no desconforto do peso da barriga, dos pés inchados, do sono comprometido e das costas doloridas — originadas pela mudança do eixo de equilíbrio corporal, devido ao rápido e grande crescimento do útero —, causando limitações para as tarefas básicas da sua rotina, como andar, tomar banho, se vestir e dormir.

Além disso, é comum que, ao olhar para o espelho, a gestante se sinta gorda ou pouco atraente, o que diminui a sua autoestima, deixando-a ainda mais sensível.

Como lidar com a sensibilidade no período da gravidez?

Para lidar com a sensibilidade, é preciso tomar algumas atitudes que tornam gravidez um período mais tranquilo e sereno. Entenda como a seguir:

O planejamento da gravidez é fundamental

O planejamento é umas das formas mais eficientes de manter a tranquilidade durante o período da gravidez, visto que ele fornece um preparo psicológico, emocional e financeiro para a chegada do bebê.

Planejando a gravidez, a mulher se torna ciente das mudanças físicas que seu corpo sofrerá, o que é essencial para lidar com os desconfortos desse período. Ao mesmo tempo, o planejamento permite que ela esteja preparada e se preocupe menos com as dificuldades que poderão surgir durante a criação dos seus filhos.

Dessa forma, planejar antecipadamente uma gravidez é indispensável para que a mulher se sentira mais segura frente aos desafios de gerar uma criança e se tornar uma futura mamãe.

O apoio familiar é indispensável

Nada mais eficiente para lidar com as emoções do que o carinho da família, do companheiro e dos amigos certo? Por isso, o apoio das pessoas próximas é um elemento indispensável para que as mulheres tenham uma gestação mais serena.

Dica: Os diferenciais da CordVida: como eles podem impactar a saúde das famílias?

Nesse contexto, é preciso que essas pessoas estejam cientes e compreendam as alterações emocionais que a grávida sofre nesse período. Para tanto, é preciso paciência, atenção e suporte nas atividades rotineiras, principalmente na fase final da gestação.

Além disso, é importante que a família participe de cada período da gravidez, atendendo às demandas e às dúvidas que a mulher possa ter nessa etapa da sua vida. Assim, ela poderá compartilhar os seus medos, suas preocupações e suas angústias com quem ela mais gosta.

A prática de exercícios físicos é essencial

Praticar exercícios físicos é outra conduta essencial para as mulheres que querem ter uma gravidez mais tranquila e se sentir menos irritada nesse período. E por que a atividade física é tão fundamental? Ao se exercitar, o corpo libera hormônios do bem-estar, os quais fazem as pessoas se sentirem mais alegres, tranquilas e relaxadas.

Os exercícios físicos também afastam o sedentarismo e controla a retenção de líquidos, muito comum no período da gravidez. Assim, o ganho de peso se torna mais controlado, o que ajuda a grávida se sentir mais dispostabonita, deixando a sua autoestima lá no topo.

Dica: Saúde na gestação: 10 benefícios do pilates para mulheres grávidas

Vale ressaltar, entretanto, que qualquer tipo de atividade física durante a gestação só pode ser iniciado após a avaliação e o consentimento do obstetra. Além disso, é indispensável que essas atividades sejam monitoradas e adequadas para as especificidades físicas e de saúde de cada grávida. Deve-se sempre optar pelas atividades de baixo impacto, como a hidroginástica, a caminhada, o pilates e a natação.

O controle do estresse é um grande aliado

Controlar a exposição às situações estressantes é fundamental para que a gestante se sinta menos irritada. Para tanto, é preciso investir em atividades que fazem bem à mente e ao corpo, como dormir, ler, passear, ouvir música ou conversar com os amigos, por exemplo.

Ao mesmo tempo, deve-se evitar a tentação de fazer mil coisas ao mesmo tempo e reduzir a carga de funções no trabalho. Outra opção é praticar yoga ou apostar nas atividades de meditação e relaxamento físico.

E aí, como anda a sua sensibilidade? Tem chorado muito ou por enquanto essa fase é só de expectativas? Aposte nas nossas dicas e lide melhor com as suas emoções no período da gravidez.

Para ganhar mais tranquilidade quanto ao futuro, teste seu conhecimento e descubra se está preparada para ser mãe!

Quizz- Preparada para ser mamãe?

Aproveite e confira os 14 livros sobre gravidez para ler durante a gestação e aprenda mais sobre os desafios dessa etapa da sua vida!

  • Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
  • Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
  • Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
  • Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.