Saiba quais são as causas da azia na gravidez e como prevenir

Curiosidades na gravidezGravidez

Escrito por:

Sensação de uma queimação que vai da garganta ao estômago e um mal-estar que dificulta a alimentação. A pirose ou azia na gravidez é um dos incômodos mais comuns relatados pelas mulheres. Mesmo aquelas que nunca tiveram o problema antes de engravidar podem sofrer com o sintoma em algum momento, geralmente no início e no fim do período gestacional.

Como em muitos outros desconfortos da gestação, as causas da azia estão relacionadas às mudanças hormonais e alterações inevitáveis no corpo da gestante enquanto o bebê cresce e se desenvolve. A boa notícia é que é possível reduzir o problema com algumas mudanças simples de hábito.

Neste artigo vamos explicar por que as gestantes têm azia, se há riscos para a saúde dela ou do bebê e trazer dicas valiosas para ajudá-la a contornar e tratar esse desconforto.

Confira!

Por que a grávida tem azia?

Há dois principais motivos para o aparecimento da azia na gravidez: mudanças hormonais e crescimento da barriga.

Dica: Preocupada com a saúde do seu bebê? Comece pela atenção à gravidez!

Ação hormonal

Durante a gestação há um aumento na produção de progesterona, um hormônio que relaxa a musculatura do útero para permitir sua expansão e comportar o crescimento do bebê. O problema é que ele também age sobre a musculatura do estômago, afrouxando a válvula que controla a entrada de alimentos no sistema digestivo e impede o refluxo de ácido do estômago para o esôfago.

Com essa falha de controle, os ácidos estomacais acabam subindo para a garganta, provocando a sensação de queimação e amargor na boca. O relaxamento da musculatura estomacal também deixa a digestão mais lenta, favorecendo o mal-estar e os enjoos.

Crescimento da barriga

Com o crescimento do bebê e o aumento do útero, todos os órgãos da cavidade abdominal são empurrados para cima. Com isso, o estômago e os intestinos ficam comprimidos, retardando a digestão e reduzindo a capacidade estomacal de manter os ácidos em seu interior, favorecendo o refluxo gastroesofágico e a consequente queimação.

Por quanto tempo é normal ter azia durante a gravidez?

Normalmente a azia aparece no segundo e terceiro trimestre da gestação, embora algumas grávidas possam ter o problema já no início, junto com as náuseas e enjoos do primeiro trimestre. Esse é um sintoma que vai e volta ao longo de toda a gravidez e que só se resolve por completo após o nascimento do bebê.

Hábitos e atitudes podem proporcionar uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Confira no banner abaixo:

A azia é prejudicial para o bebê?

Não. A azia não traz risco para a saúde e o desenvolvimento do bebê, sendo mais um grande incômodo para a mamãe. Ela pode ser problemática se impedir a alimentação adequada da gestante, causando perda de peso.

Grávida pode tomar remédio para azia?

Todo e qualquer medicamento deve ser evitado durante a gravidez e a gestante nunca deve se automedicar. Se sua azia for muito forte, fale com seu obstetra! Somente ele poderá indicar um remédio ou antiácido seguro para sua saúde e do seu bebê. Porém vale lembrar que se você estiver tomando sulfato ferroso, deve tomar o antiácido em horário diferente, para não comprometer a absorção de ferro.

Quando a azia pode ser sinal de algo mais sério?

Por si só a azia não traz riscos. No entanto, quando ela vem acompanhada de outros sintomas, o melhor é falar com o seu médico para descartar outros problemas mais preocupantes.

Conheça alguns sinais de alerta:

  • azia com dor intensa — pode ser sinal de uma gastrite, úlcera ou outro problema digestivo não relacionado à gravidez;
  • dor abaixo das costelas — pode ser sinal de pré-eclâmpsia. O incômodo da azia é sempre no estômago, com uma dor que pode passar pelo peito até chegar à garganta;
  • dor no lado direito e no alto da barriga — especialmente se vier acompanhada de enjoo pode indicar um problema no fígado que acomete as gestantes.

Dica: Cuidados essenciais que você deve ter nos últimos dias de gravidez

Como a grávida pode prevenir a azia?

Nem sempre é possível prevenir a azia na gravidez, já que o sintoma está relacionado aos hormônios típicos da gestação e ao crescimento inevitável da barriga. Mas algumas medidas simples podem ajudar a aliviar o desconforto e reduzir as ocorrências.

Confira algumas dicas!

  1. Melhore a alimentação

Boa parte dos episódios de azia pode ser prevenida com hábitos alimentares melhores, como reduzir o intervalo entre uma refeição e outra e ingerir porções menores de alimentos em cada uma delas. Assim, você evita encher muito o estômago de uma única vez, produzindo menos suco gástrico e facilitando a digestão.

  1. Evite beber líquido durante a refeição

Beber água ou suco junto com a comida aumenta a distensão do estômago, facilitando o retorno dos ácidos estomacais para o esôfago. Lembre-se que é muito importante beber bastante líquido durante a gravidez, mas isso deve ser feito entre as refeições, para evitar a azia.

  1. Faça refeições leves

Evite frituras e comidas muito gordurosas e pesadas. Elas demandam mais produção de suco gástrico para fazer a digestão, aumentando a queimação. Também é importante mastigar bem os alimentos antes de engoli-los para tornar o processo digestivo mais fácil.

  1. Masque chiclete após as refeições

Mascar chicletes estimula a salivação. A saliva, por sua vez, ajuda a neutralizar os ácidos, reduzindo a azia. Dê preferência aos chicletes sem açúcar, que também protegem os dentes, que tendem a ficar mais sensíveis durante a gravidez.

  1. Evite se deitar após comer

É comum haver uma piora da azia durante a noite, devido à posição horizontal do corpo — o que facilita o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago. Para reduzir a azia nesse período, evite comer até três horas antes de se deitar.

Proporcione uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Confira no banner abaixo:

  1. Eleve o tronco para dormir

Deixar o tronco um pouco mais elevado também contribui para reduzir o retorno do suco gástrico. Você pode usar travesseiros para ajudá-la a manter uma posição mais verticalizada ou comprar um travesseiro antirrefluxo.

  1. Use roupas confortáveis

Evite modelagens que apertem a barriga ou o estômago. O ideal é deixar o abdômen livre, sem compressões.

  1. Não fume ou se exponha ao cigarro

Além da azia, o cigarro pode provocar malformações graves no feto. O melhor é parar de fumar assim que planejar ou descobrir a gravidez e ficar longe dos fumantes.

  1. Faça shiatsu

O shiatsu é uma terapia japonesa que usa o toque para equilibrar as energias, promovendo a harmonia entre mente e corpo. Ele pode ser um grande aliado das gestantes, ajudando a melhorar a digestão e o trânsito intestinal, reduzindo a aziaenjoos e prisão de ventre, sintomas comuns na gravidez. É importante ter um terapeuta especializado na técnica, pois, alguns pontos do corpo da grávida não podem ser pressionados.

Apesar do grande desconforto, a azia na gravidez é um sintoma sem gravidade ou risco para a saúde do bebê ou da mamãe. Com as dicas que listamos acima você consegue amenizar o problema e reduzir o incômodo para curtir ao máximo a sua gestação.

Quer receber mais artigos como este sobre cuidados na gravidez? Assine nossa newsletter e receba todo o nosso conteúdo diretamente no seu e-mail!

  • Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
  • Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
  • Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
  • Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.