Tudo que você precisa saber sobre os movimentos do bebê na barriga da mãe!

GravidezSaúde na gravidez

Escrito por:

Cada momento da gestação é uma surpresa e uma alegria para os futuros pais, não é mesmo? E um dos momentos mais especiais é quando o bebê começa a se mexer dentro da barriga da mamãe.

Todos querem sentir de perto a emoção de perceber os movimentos do pequeno, principalmente os pais, familiares e amigos mais próximos. Se você está passando por essa fase, ou aguardando ansiosamente por ela, com certeza deve querer aprender mais sobre essa experiência única. Saiba mais sobre os movimentos do bebê na barriga da mamãe!

Veja o vídeo abaixo com a Dr. Especialista Juliana Alzuguir e leia o nosso post sobre movimentos do bebê na barriga da mãe.

Quando os movimentos do bebê começam?

Você pode ainda nem saber que está grávida, e o bebê já se movimenta na sua barriga. A movimentação do bebê está diretamente ligada ao seu desenvolvimento no útero. Geralmente, na semana 7 ou 8 da gestação, o feto esboça seus primeiros movimentos, mesmo que sejam imperceptíveis.

Nessa época, a mãe ainda não consegue sentir essas movimentações, pois, além de serem suaves, quase involuntárias, o bebê ainda é muito pequeno para que sua movimentação seja percebida.

Quando a mamãe começa a sentir o bebê se mexer?

Na primeira gestação, você vai demorar um pouco mais para sentir os chutes e mexidas do seu bebê. Por volta da semana 18 ou 20, pode perceber vibrações suaves em sua barriga. No início, sente as movimentações do bebê como ar ou gases, ou como uma sensação de bolhas estourando ou ondulações.

A partir da segunda gestação, você já conhece as sensações e percebe os movimentos do pequeno mais cedo, por volta da 16ª semana de gravidez.

Dica: Vínculo entre mãe e bebê: da gestação para toda a vida!

A percepção dos movimentos também é influenciada pelo peso da mãe. O sobrepeso, —especialmente somado à anexação da placenta na parte frontal do útero (formando um travesseiro entre ele e a barriga) — pode dificultar a percepção dos movimentos durante toda a gravidez.

À medida que o bebê cresce e o espaço interno diminui, você sente chutes mais fortes — um pezinho, bumbum ou cotovelo estufam sua barriga. Esses movimentos são especialmente dolorosos quando próximos às costelas.

Quando o papai pode sentir o bebê se mexer?

Papais também aguardam ansiosos para sentirem seu rebento chutar a barriga materna. Isso pode acontecer a partir da 22ª semana, quando o útero já cresceu o suficiente para tocar a parede do abdômen, e o líquido materno já diminuiu bastante.

Quantas vezes você deve sentir o bebê se mexer?

Não há uma regra que determine o número de vezes que o bebê se mexe ao longo do dia. Cada bebê tem seu próprio ritmo para dormir e ficar acordado. Os ciclos de sono e vigília se formam na 21ª semana da gravidez.

Alguns bebês são naturalmente mais agitados e outros mais tranquilos. Aos poucos, você vai conhecendo os hábitos do seu.

Dica: Veja os principais hábitos que você deve mudar para ter uma gravidez saudável

Conforme o tempo vai passando, o bebê se mexe mais, e a tendência é ficar mais agitado durante o dia e mais quietinho à noite — o que é ótimo para o sono da mamãe, especialmente à medida que o parto se aproxima e é mais difícil achar uma posição confortável para dormir.

No entanto, ao chegar próxima à data prevista para o parto, o bebê se movimenta menos — já não há muito espaço para que ele chute ou dê tantas cambalhotas.

Além disso, ele já está se encaixando na pelve materna e também se prepara para o nascimento.

Como interagir com os movimentos do bebê?

Assim que você notar movimentos cada vez mais intensos, também vai ficar mais à vontade para interagir com ele.

Por volta da 33ª semana, o pequeno escuta os sons do ambiente externo, inclusive a sua voz e a de outras pessoas. É um ótimo momento para colocar músicas suaves e conversar com ele, que deve responder se mexendo mais ou reduzindo a agitação.

Dica: Entenda a influência da música na gestação

Você também pode perceber que ele reage quando você come algo do qual ele gosta muito ou que ache azedo — ele chega a fazer careta!

O paladar se desenvolve ao longo da 16ª semana de gestação, e os bebês costumam ter preferência pelo sabor adocicado. Por isso, é comum ver as mamães levarem chocolate para comer durante o ultrassom para observar as reações do bebê.

Cuidados com os excessos de estímulos

Aqui vai uma dica para os pais: evitem discutir ou falar muito alto. A mamãe deve ainda evitar locais com muito barulho ou som estridente. Isso não é bom para o bebê, que pode sentir a agitação, ainda que não compreenda o que está acontecendo.

Além disso, quando a grávida fica nervosa e passa por muita tensão, ocorre uma descarga de adrenalina — o hormônio do estresse — diretamente na corrente sanguínea. Esse hormônio pode chegar até a placenta e fazer com que os batimentos cardíacos do bebê se acelerem.

Dica: Entenda os benefícios das terapias para gestantes

Alguns pesquisadores acreditam que as descargas químicas das emoções maternas são compartilhadas com o feto, de forma que ele também sente as angústias da mãe quando elas são muito fortes.

Clique no banner abaixo e confira o guia que preparamos para você entender os movimentos do seu bebê!

Quais são os movimentos do bebê?

Graças ao ultrassom, é possível observar o que o bebê faz dentro da barriga, mesmo antes de você o sentir. Listamos abaixo alguns movimentos que seu pequeno é capaz de realizar em cada fase da gestação. Confira!

Primeiro trimestre

7ª semana

Os movimentos do bebê são sutis e imperceptíveis para a mamãe. O bebê vira de lado, fazendo movimentos involuntários, como se fossem sustos. Esse é um sinal de que ele está bem alimentado e que o oxigênio está chegando corretamente até a placenta.

9ª semana

O bebê já soluça — você sente esses soluços como trepidações constantes, com intervalos médios de 2 segundos, quando começa a perceber os movimentos do pequeno. Seus braços e pernas já estão formados, e ele pode esticá-los por conta própria. Seu pequeno também já é capaz de engolir, piscar e chupar o dedo.

10ª semana

O bebê vira a cabeça, leva as mãos ao rosto, abre a boquinha e se estica. Mas ele ainda é muito pequeno e, mesmo se esticando todo, seu corpinho não alcança as paredes uterinas.

Além disso, o útero ainda está cercado pelos demais órgãos internos e não encosta diretamente nas paredes do abdômen. Também há uma grande quantidade de líquido amniótico para o bebê flutuar, por isso não é possível sentir toda essa movimentação.

Nessa fase, ele também gosta de escutar o coração da mamãe e se acalma com esse batuque ritmado.

Dica: Como acalmar um bebê? Conheça 7 dicas

Entre a 11ª e a 14ª semana

Seu bebê começa a bocejar, ou seja, expressa o sono. Na semana de número 14, o bebê já movimenta os olhos.

Segundo trimestre

Entre 15ª e 20ª semana

A sensação muda, pois ele está crescendo. Você sente chutes e trancos — muitos deles bem fortes. Porém, ele não se move a todo tempo. Ele também tem suas horas de descansar e dormir, como todos nós. É nessa época que se formam as impressões digitais do bebê, justamente devido ao atrito dos seus movimentos no útero.

Entre 20ª e 24ª semana

Os movimentos são menos intensos. O bebê pode dar pequenos chutes durante o dia, porém, costuma ser mais ativo à noite, quando a mamãe está em repouso.

Entre 24ª e 27ª semana

É possível perceber movimentos constantes e bruscos. Dar cambalhotas é um dos passatempos favoritos do pequeno. Ele também responde bem aos sons ambientes e músicas. Você consegue sentir alguns pulinhos ritmados e constantes por causa dos soluços.

O espaço vai diminuindo e alguns “calombos” podem ser vistos na barriga da mãe quando o bebê se estica e espreguiça.

Dica: Como é o desenvolvimento fetal no segundo trimestre da gravidez?

Terceiro trimestre

29ª semana

Os movimentos ficam menos bruscos e, até a 32ª semana, a movimentação chega ao seu ápice. A partir de então, a agitação diminui devido ao espaço menor dentro do útero. O bebê também costuma dormir durante uma parte do dia e se movimentar na outra.

33ª semana

O bebê começa a escutar os sons que vêm de fora da barriga da mamãe. É nesse período que os movimentos, ainda que menos frequentes, se tornam mais dolorosos.

Isso porque ele está bem grandinho e não tem muito espaço. Assim, qualquer joelhinho dobrado ou cotovelo esticado podem causar na mamãe um rasgo de dor e, infelizmente, não há muito a fazer para aliviar isso.

36ª semana

Ele passa a se movimentar para a posição ideal para o parto, se encaixando na pélvis de cabeça para baixo.

Devo me preocupar quando não sentir o bebê se mexer?

Algumas mães ficam ansiosas e nervosas quando não sentem o bebê se mexer, mas é preciso manter a calma.

Com a correria do dia a dia e os muitos afazeres, alguns movimentos passam mesmo despercebidos. Sim, você não consegue sentir cada mexidinha do bebê, mesmo após já se acostumar com elas.

Para ficar mais tranquila e aquietar o coração, você pode usar alguns truques para estimular o bebê a se mexer. Confira:

Faça um lanche

Comer vai elevar seus níveis de glicose no sangue e levar mais energia ao bebê. Lembra que dissemos que eles gostam do sabor adocicado? Isso normalmente faz com que eles despertem.

Beber água e fazer uma breve caminhada também costuma acordar o dorminhoco.

Se você já conseguiu identificar um alimento pelo qual ele tem preferência, é quase certo que ele reagirá a esse lanchinho.

Fique em repouso

O bebê dorme mais quando você está se movimentando e desperta quando você repousa — é comum as futuras mamães perceberem a bagunça na barriga quando estão quietinhas. Algumas chegam a acordar com os chutes noturnos do bebê.

Dica: Como dormir bem na gravidez? Conheça 8 dicas infalíveis!

É também esse hábito na vida intrauterina o responsável pelo conforto que os bebês sentem, após nascerem, com os passeios de carro. O balanço e o barulho constante do motor são similares à movimentação do andar e às batidas do coração da mãe.

Assim, um bom estímulo para acordá-lo é deitar-se relaxada com as pernas para cima.  Ao sentir que você parou, ele acorda.

Você também pode se deitar de lado — preferencialmente o esquerdo, já que, do lado direito, há uma artéria que leva oxigênio para o bebê — e aguardar a reação dele.

Faça algum barulho

Coloque uma música, bata a porta ou fale com o bebê para ver se ele responde. Acariciar a barriga enquanto conversa com ele também vai estimulá-lo a se mexer. Aos quatro meses de gestação, as conexões nervosas já estão formadas e os bebês são capazes de sentir, com prazer, as carícias da sua mão na barriga.

Dica: Entenda a influência da música na gestação

Quando procurar ajuda médica?

Para as mães que estão em uma gravidez delicada, é importante ter uma atenção maior com as alterações no padrão de movimento do bebê e avisar ao médico no caso de ausência de movimentos.

Você também deve falar imediatamente com o seu médico diante dos seguintes sinais:

  • se não sentir 10 ou mais movimentos separados durante duas horas, após se deitar de lado;
  • se o bebê não responder a nenhum dos estímulos que citamos acima;
  • se você perceber uma grande redução dos movimentos do seu bebê ou uma diminuição gradual ao longo de vários dias.

O obstetra pode auscultar o coração do bebê e solicitar uma ultrassonografia para ver se está tudo certo com ele.

Esse acompanhamento é importante para verificar se a placenta e o cordão umbilical estão recebendo e levando ao bebê as quantidades necessárias de nutrientes e oxigênio.

Dica: Como é o processo de coleta de células-tronco do cordão umbilical?

Como é o desenvolvimento do bebê no útero?

Lembra que dissemos que a movimentação do bebê tem a ver com seu desenvolvimento intrauterino? Conheça, então, alguns dos principais pontos desse processo:

  • 1º mês: uma série de divisões celulares inicia o processo de formação da placenta. O feto mede aproximadamente 0,5 cm;
  • 2º mês: o coração bate aceleradamente, enquanto se forma o sistema nervoso e aparelhos digestivo, respiratório e circulatório. Olhos, boca e nariz começam a se desenvolver;
  • 3º mês: desenvolve-se o esqueleto, as costelas e dedos. Completa-se a formação de todos os órgãos internos;
  • 4º mês: ele se movimenta, suga e engole. Também percebe as alterações de luz e os gostos amargos e doces;
  • 5º mês: começam a nascer cabelos, cílios e sobrancelhas. Forma-se o sistema reprodutor. O bebê franze a testa e chupa o dedo;
  • 6º mês: lábios e sobrancelhas ficam mais visíveis e se inicia a formação das digitais;
  • 7º mês: os órgãos internos continuam crescendo;
  • 8º mês: uma camada de gordura se forma sob a pele para aquecer o bebê depois do nascimento. Os pulmões estão quase prontos e os ossos se fortalecem;
  • 9º mês: o bebê já controla a respiração e, próximo da 40ª semana, está pronto para nascer.

Clique no banner e acompanhe cada estágio do período da gestação, além de solucionar diversas dúvidas que envolvem esse momento único.

Agora você já conhece os detalhes da formação do seu bebê e de como pode acompanhar o desenvolvimento dos seus movimentos. Na dúvida, conte sempre com a CordVida para ajudá-la nesse momento especial.

Gostou do nosso post sobre movimentos do bebê? Siga nossas redes sociais — FacebookTwitterInstagram e YouTube — e não perca nenhum dos nossos artigos sobre gravidez, cuidados e desenvolvimento do bebê.

  • Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
  • Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
  • Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
  • Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

4 Replies to “Tudo que você precisa saber sobre os movimentos do bebê na barriga da mãe!”

  1. […] tudo o que é posto na mão dele. O bebê se movimenta bastante, só que você só vai sentir esses movimentos no próximo trimestre, já que agora ele ainda é bem pequeno, medindo apenas 8 cm e pesando cerca […]

  2. […] do cordão umbilical por exames convencionais. A única alteração costuma ser a ausência de movimentos fetais, fator que leva a mulher a procurar um serviço de […]

  3. […] desafios das futuras mamães. A barriga que cresce e pesa, as dores nas costas e nas pernas e o bebê se mexendo na hora do descanso são apenas alguns dos motivos que fazem com que as gestantes tenham […]

  4. Olá! estou feliz por achar seus artigos, quanta informações legais, que bom que está compartilhando, parabens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.