Sexo na gestação: verdades e mitos

Gravidez

Escrito por:

A vida sexual de muitos casais sofre com a gestação. Seja devido a valores morais, religiosos ou aos muitos mitos sobre esse tema que acabam se propagando e impedindo os novos pais de manter esse aspecto tão natural e saudável da vida de um casal.

Descubra agora as verdades e mitos sobre o sexo durante a gravidez:

A gravidez reduz a libido: depende

Muitas vezes, os hormônios da gravidez podem aumentar a libido. Mas como a gravidez é um processo complexo e longo, o enjôo e as náuseas do primeiro trimestre e o desconforto dos últimos meses — além da ansiedade da chegada do bebê — podem acabar superando o efeito desses hormônios e reduzir o desejo sexual.

O sexo pode machucar o bebê: mito

O bebê está muito bem protegido dentro do útero, então essa não deve ser uma preocupação dos futuros pais. A parede de músculos da barriga e do útero em conjunto com o líquido amniótico criam um sistema amortecedor que impede qualquer machucado ao bebê. Além disso, o colo do útero, que liga o útero à vagina, passa a gestação vedado por um tampão mucoso, impedindo qualquer contato direto com o meio exterior.

O sexo pode induzir o parto: verdade

Mas apenas em algumas situações especiais. Com o avançar da gestação, a penetração profunda de algumas posições sexuais pode sim estimular o colo uterino e induzir contrações que levam ao parto. Mas isso não é tão comum e pode ser evitado com posições que tem uma penetração mais superficial.

Algumas posições são mais recomendadas do que outras: verdade

A posição clássica papai-e-mamãe se torna impossível à medida que a mulher se aproxima da data do parto e a barriga já está bem grande. Nessas horas é bom ser criativo e buscar novas posições que ofereçam um apoio mais confortável para a barriga, sem pressioná-la, e uma penetração menos profunda, como com o casal deitado de lado (de conchinha).

Há casos em que o sexo é contra-indicado: verdade

Em alguns casos especiais, a relação sexual realmente vai ser uma contra-indicação médica. Isso ocorre se a mulher tem um histórico de abortos, sangramento ou perda de líquido amniótico, parceiros infectados com DSTs e não utiliza camisinhas ou caso a bolsa tenha se rompido antes do previsto. Mas verifique com o médico se a contra-indicação é em relação apenas à penetração ou ao orgasmo e em quais fases da gestação essa abstinência é recomendada — para não se privar da prática desnecessariamente.

O orgasmo da mulher pode induzir o parto: mito

O orgasmo pode até provocar algumas contrações uterinas breves, mas elas são inofensivas. Essas contrações podem ocorrer também por estimulação do mamilo ou devido à substâncias do sêmen, chamadas de prostaglandinas, que também são liberadas pelo corpo da mulher durante o orgasmo. O importante é ficar atenta a sinais de alerta como dor, contrações que não somem após alguns minutos ou sangramentos. Nesses casos, procure ajuda médica.

A sensibilidade do corpo da mulher muda: verdade

O maior fluxo sanguíneo para a pelve pode provocar um ingurgitamento dos genitais, maior produção de muco vaginal e as mamas podem ficar mais sensíveis durante a gravidez. Para algumas mulheres isso pode aumentar o prazer, mas para outras pode causar dor e desconforto.

A atração sexual do homem pela mulher diminui: mito

A maioria dos homens acha a mulher tão atraente quanto antes — ou até mais durante a gravidez. Mas a mudança da visão da esposa como a de uma parceira sexual para a de uma mãe pode atrapalhar um pouco em alguns casos. Além disso, a gravidez também afeta o homem, que pode sofrer ansiedade em relação ao parto e aos cuidados com bebê, tendo seu desejo sexual reduzido. Por isso, a participação dele em todas as etapas é fundamental para que ele também possa tirar suas dúvidas e se sinta confiante e relaxado quanto ao sexo.

É importante lembrar que embora o sexo seja um aspecto muito importante, ele não é a única forma de intimidade entre um casal. Investir em um tempo sozinhos, para jantares românticos ou idas ao cinema, ajudam a manter o casal conectado e próximo, o que é fundamental para a preparação para essa nova fase da vida.

A gravidez representa 9 meses de muitas mudanças tanto no corpo da mulher, quanto no psicológico do casal e no desejo sexual do homem e da mulher. Manter a comunicação aberta e ter criatividade para obter prazer com ou sem a penetração são fundamentais. E lembrem-se: a gravidez é apenas uma fase.

E aí, papai e mamãe, ficaram mais relaxados com essas dicas? Não deixem de conferir outros posts sobre o tema. Caso tenham alguma dúvida sobre esse ou outros assuntos, deixem um comentário ou entrem em contato conosco!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Comments are closed.

Caro Leitor,

A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.